quinta-feira, 18 de agosto de 2011

alma lavada


Pra não esquecermos do que somos feitos.
Pra não esquecermos que a terra e o ser humano são uma coisa só.
Ainda que a luta por estar vivo só mais um dia, insista em nos afastar de nossa verdadeira essência.
A luta de sair pra trabalhar, pagar contas, tentar ser feliz.
Ser feliz é ser livre, e não tem como ser livre quando vivemos letárgicos.
E num dia de sol, em algum lugar do mundo, pessoas se uniram pra dizer que ser feliz é não abaixar a cabeça.
Que tem muita gente querendo outras formas de se viver. Pois elas existem, e somos nós quem vamos construí-las.
Não é difícil.
É só dar o primeiro passo.
Pelas lentes sensíveis e elegantes de Paulo Ferreira,

À dor amores, orgulhosamente apresenta:




















Link
Para saber mais sobre um massacre anunciado:

http://www.xinguvivo.org.br/

Um comentário:

Rose Helen Bezerra disse...

Maravilhoso... parabéns queridas... muito orgulho!